Viva o voluntariado!

No dia 28 de agosto de 1985 foi instituído no Brasil o Dia Nacional do Voluntariado, através da lei nº 7.352. Diversas organizações desenvolvem um papel fundamental à coletividade devido ao trabalho de voluntários, dentre as mais conhecidas estão a Cruz Vermelha e o Médicos Sem Fronteiras. De acordo com a ONU, voluntário é a pessoa que dedica parte do seu tempo, sem remuneração, a diversas formas de atividades de bem estar social, devido a seu interesse pessoal e seu espírito cívico. O voluntariado traz benefícios para a sociedade em geral, tanto na esfera econômica como na social, e também para o indivíduo que realiza as tarefas. Através da construção da confiança e da reciprocidade entre as pessoas, o voluntariado contribui para a uma sociedade mais coesa, pacífica e integrada, pois abre oportunidades para a participação de todos.

Em 2019, o trabalho voluntário envolveu 6,9 milhões de pessoas no Brasil, sendo a maioria mulheres com 25 anos ou mais, de acordo com o IBGE. O Dia Nacional do Voluntariado é comemorado há 35 anos, mas ganhou ainda mais relevância neste ano devido às manifestações de solidariedade generalizadas em prol dos grupos mais vulneráveis à crise do coronavírus. A crise de saúde fez milhões de brasileiros perderem total ou parcialmente a renda, e é justamente em meio ao caos que mais vemos florescer a esperança. A solidariedade e a chance de aprender com a história do outro têm feito parte da vida de quem se dispôs a fazer trabalhos voluntários durante a pandemia do novo coronavírus. Enquanto alguns se organizam sozinhos para iniciar projetos de doação, outros fortaleceram a conexão que já tinham com a atividade e passaram a contribuir ainda mais. 

Mas e os animais dessas pessoas que perderam renda, emprego? O abandono animal vem se ampliando intensamente nos últimos anos, e no período da COVI-19 vimos dois movimentos distintos: o aumento de adoções, mas também, o aumento de abandonos. De acordo com a OMS, existem mais de 30 milhões de animais nas ruas do país, dois terços são cachorros. A situação se agrava nos grandes centros e regiões metropolitanas, onde, conforme estima a OMS, há um cão nas ruas para cada cinco habitantes. A situação dos animais de rua é de cortar o coração, porém nem tudo são más notícias. Existem várias iniciativas e instituições ligadas ao resgate, cuidado e encaminhamento para a adoção destes animais. Uma das maiores preocupações que as associações protetoras de animais têm é o grande número de maus-tratos que cães e gatos sofrem. Algumas ONGs no Brasil lutam por aprovação da legislação que possa reger uma maior conscientização à população sobre a posse responsável de animais. 

É importante frisar que geralmente as pessoas responsáveis por tais associações são, em sua grande maioria, voluntários. Pessoas comuns que abdicam do seu tempo livre – ou que se dedicam em tempo integral – para ajudar com uma causa que é muito nobre. Os tipos de voluntários podem variar bastante, visto que não é preciso ter experiência mas sim boa vontade, e trabalhar para mudar esse cenário. E são muitas as funções de um voluntário nesta área: limpeza dos animais, dar banho nos mesmo, alimentar os animais, transporte, arcar com hospedagens, conseguir lar temporário, e o mais importante, ser a conexão entre um cão ou gato sem lar com uma pessoa que deseja adotar. E como encontrar estas pessoas e instituições que resgatam e cuidam dos animais de rua? Nós selecionamos 3 ONGs da Grande Florianópolis que conhecemos de perto e sabemos da seriedade do trabalho de cada uma delas.

ADOTE UM RONROM 

Projeto independente de resgate, tratamento e doação de gatos recolhidos das ruas de Florianópolis – SC, mantido pela ajuda dos voluntários que compõe a equipe, sócios do Clube do Ronrom e colaborações eventuais de amigos do projeto e empresas parceiras. A especialidade da ONG é o resgate de gatos, com anos de experiência. O projeto foi inspirado em projetos e ONGs de fora do Brasil que promovem a adoção consciente, saudável e educativa de animais resgatados. Você pode ajudar a instituição fazendo parte do Clube Ronrom, através da lojinha, doações, ou apadrinhamento. Acesse o site deles para maiores informações.

SOS PETS

É um projeto recente, com pouco mais de um ano, mas com muita garra e força de vontade. Começou através de um entusiasta da causa animal e hoje conta com alguns voluntários e um espaço enorme para resgate, adaptação, e cuidado com os animais. Eles resgatam todo e qualquer animal em situação de alto risco, e já resgataram inclusive 3 éguas. Você pode ajudar a instituição fazendo uma assinatura mensal no valor que quiser no pic pay (valores começam em R$1), através de doações, ou lar temporário. Acesse o instagram deles para maiores informações.

“Ser voluntário é fazer sem receber nada em troca, nada além de lambidas e gratidão!” – Thyfani Oliveira 

4 PATAS 1 LAR

Projeto independente que faz a ponte entre protetor e adotante: ajudando quem ajuda os animais. Atuam a dois anos principalmente no resgate de cães abandonados. O foco principal do trabalho é conseguir lares permanentes para os animais. Você pode ajudar a instituição sendo voluntário, fazendo doação, divulgando o trabalho deles. Acesse o instagram deles para maiores informações.

 

 

Ajudar ao próximo inclui ajudar os animais, enquanto uns abandonam e/ou maltratam, outros preferem escolher o lado positivo da vida, ajudando e lutando pela vida desses bichinhos. Devemos valorizar muito os voluntários que trabalham em abrigos de animais, que se sujeitam a duras rotinas de trabalho, ficam felizes com os lares conquistados, sofrem com as devoluções, com as vidas perdidas, mas vivem para que os animais tenham um melhor cuidado.

OBRIGADA VOLUNTÁRIOS!

Comenta aqui embaixo, você ajuda alguma instituição? Já conhecia alguma das que indicamos? Tem outras para nos apresentar?