A beleza e importância da convivência entre pets e crianças

Nós já falamos aqui no blog alguma vezes sobre a importância de se viver na presença de animais e, inclusive, dedicamos um post exclusivo para falar sobre essa importância na fase mais madura de nossas vidas, a terceira idade – se ainda leu, esse post está aqui!

Mas e o que dizer sobre a primeira fase da vida? Será que os pets também são importantes durante a infância?

A resposta é SIM!!! Assim como em todas as outras fases da vida humana, a convivência de perto com os animais só nos gera benefícios e, na infância, onde as crianças estão conhecendo o mundo e aprendendo coisas novas diariamente, a convivência ao lado dos pets nos parece ser de suma importância.

E temos provas!!! Para demonstrar toda essa importância, listamos aqui alguns dos benefícios dessa relação crianças + pet!

1 – Diferente do que se pensa, o convívio com animais protege as crianças de infecções e diminui o risco de se desenvolver doenças respiratórias como asma e rinite e, até mesmo, e alguns casos de dermatite. O que se acredita é que o animal acaba estimulando o sistema imune das crianças e faz uma espécie de “treino” no corpinho delas, fazendo com que as células de defesa aprendam a lidar com agentes externos como, por exemplo, o pelos e saliva dos pets. Aliás, alguns estudos ainda defendem que essa relação é tão benéfica que a exposição aos animais ainda na gestação já reduz o risco das crianças desenvolverem doenças relacionadas a desequilíbrio do sistema imunológico.

2 – Outro benefício para a saúde dos pequenos está ligado ao estresse, já que cães e gatos podem ajudar a relaxar e acalmar a criança. Isso porque, ao fazer carinho no seu pet, o corpo libera hormônios como a ocitocina, que está ligada ao estabelecimento de vínculos e melhora a resposta psicológica e fisiológica ao estresse. Sobre o assunto, existe até um estudo feito pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos mostrando que ter um animal em casa pode diminuir o risco de ansiedade infantil.

3 – Mas e quando iniciar esse convívio? Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os dois primeiros anos de vida da criança são fundamentais para o desenvolvimento cerebral e quanto mais estímulos, mais conexões se formam entre os neurônios. Portanto, a relação com os animais desde o nascimento faz com que as crianças tentem, várias e várias vezes a realização de uma mesma atividade, aperfeiçoando suas habilidades motoras.

Kid at home playing with letters

4 – Autocontrole, socialização e capacidade afetiva são mais alguns aspectos positivos dessa relação entre pets e crianças. Ter um pet ensina a interpretar os sentimentos e necessidades de outro ser, trabalhando a empatia da crianças e estimulando comunicação não verbal e carinho com o próximo. Para as crianças com transtornos físicos e neurológicos é ainda maior, tanto que parte do acompanhamento terapêutico de diversas condições, como o autismo, tem a terapia assistida por animais (TAA) como metodologia específica com esse foco.

5 – Ter um pet em casa também afasta o sedentarismo e força a criança a se exercitar, seja correndo atrás do gato pela casa ou levando o cachorro para o passeio diário. Hoje em dia as crianças estão muito ligadas às telas – computadores, celulares, televisão.. – e a presença de um pet pode ajudar a criança a dosar essa tendência. Além de espantarem o sedentarismo, a ciência vem estudando a influência dos pets na prevenção da obesidade infantil. A Universidade de Alberta, no Canadá, ao investigar a microbiota intestinal de 700 bebês, descobriu que aqueles que conviveram com pelo menos um pet durante a gestação tinham duas vezes mais Oscillospira – bactéria está ligada ao risco de ganhar muito peso – no intestino.

6 – Os pets ainda são importantes para transmitir lições importantes para as criança sobre nascimento, reprodução, acidentes e outros acontecimentos marcantes, como o luto, o que será útil em futuros eventos tristes da vida. Além disso, os animais também ensinam aos pequenas noções sobre responsabilidade, já que, para as crianças mais velhas, é possível delegar algumas tarefas condizentes com a sua idade no cuidado com o bicho.

7 – A convivência com animais de estimação também melhora a qualidade da relação das crianças com as outras pessoas. Segundo um estudo da Universidade de Cambridge, o vínculo forte com os pets faz com que as crianças aprendem a dividir, interagir e se tornam pessoas mais carinhosas também, desenvolvendo assim comportamentos mais afetivos e solidários.

8 – Por fim, o convívio com pets estimula nas crianças uma percepção mais apurada em relação ao meio ambiente, proteção da fauna e flora, gerando adultos mais responsáveis e preocupados com o futuro do planeta. 

Viu só quantos benefícios? Mas é importante deixar claro que os pais ou responsáveis pela criança devem sempre supervisionar a interação entre crianças e bichos, especialmente em relação às crianças menores e aos pets que ainda não tenham convívio com os pequenos. Além disso, não se pode descuidar da higiene, mantendo os pets sempre livres de pulgas e carrapatos e regularmente vacinados. Fora isso, é só curtir, e muito, essa relação linda!

E você, foi uma criança que cresceu com pets? Consegue observar os benefícios que essa vivência gerou? Nos conta, queremos saber!!!